Centro de treinamento em radioterapia é inaugurado em São Paulo

O primeiro centro de treinamento de radioterapia do Brasil entrou em funcionamento nesta segunda-feira (20/11). A inauguração contou com a presença do Ministro da Saúde, Ricardo Barros. A unidade de capacitação faz parte do Acordo de Compensação Tecnológica (ACT) assinado entre a empresa e o Ministério da Saúde. A partir dessa parceria, será possível produzir no Brasil aceleradores lineares, equipamentos considerados mais modernos no tratamento do câncer e ampliar a oferta de tratamento da doença.

“Fizemos a maior compra pública de aceleradores lineares do mundo: são 100 equipamentos, eram 80 e adicionamos mais 20. Com a construção dessa Fábrica, em Jundiaí, alguns desses equipamentos serão fabricados aqui, mas, principalmente, teremos manutenção, horas/ técnicos e peças para reposição com valores em reais. Esse centro de treinamento é fundamental nesse início, para que as pessoas se qualifiquem para operar os equipamentos que já começaram a ser entregues este ano no país”, enfatizou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Instalado em Jundiaí (SP) na fábrica da Varian Medical, a unidade tem capacidade de capacitar 1.500 pessoas por ano para manuseio de aceleradores lineares. O centro de capacitação vai auxiliar a expansão da radioterapia no país e internalizar a tecnologia, diminuindo os gastos públicos além da dependência do mercado externo. A empresa tem expectativa de oferecer regularmente 13 cursos, formando uma rede de treinamento em parceria com Universidades.

PLANO DE EXPANSÃO – A compra de aceleradores lineares faz parte do Plano de Expansão da Radioterapia, que tem como objetivo ampliar o acesso da população a procedimentos oncológicos SUS. O Ministério da Saúde já entregou cinco aceleradores lineares no país, beneficiando a população de Maceió (AL), Campina Grande (PB), Feira de Santana (BA) e Curitiba (PR). Em julho, o Hospital Universitário de Brasília (HUB) recebeu o quinto aparelho e deve colocar em funcionamento até o final deste mês.

Cabe ressaltar que os aceleradores lineares são equipamentos de altíssima complexidade tecnológica e não podem ser instalados sem os devidos cuidados com a proteção radiológica. As instalações exigem espaço físico com características peculiares e distintas das construções tradicionais de estabelecimentos e unidades de saúde, uma vez que envolve, por exemplo, sistemas de climatização específicos, refrigeração da água, sistema elétrico diferenciado e maior espessura das paredes.